Home Estética O que considerar antes de realizar uma cirurgia plástica

O que considerar antes de realizar uma cirurgia plástica

84
0

Você já pensou em fazer uma cirurgia plástica em algum momento da sua vida? Difícil encontrar uma pessoa que responda a essa pergunta de forma negativa, pois a maioria nunca está satisfeita com o próprio corpo.

Eliminar uma gordurinha na cintura, colocar silicone, reparar algum defeito no nariz ou até aumentar o quadril é motivo para recorrer a um cirurgião plástico.

Os atuais padrões estéticos impostos pela sociedade fazem com que muitas pessoas fiquem obcecadas pelo corpo. Principalmente no período da adolescência, época em que os jovens têm maior necessidade de se auto afirmar em seu meio social.

O Brasil está em primeiro lugar do ranking mundial de cirurgias plásticas.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, são quase um milhão e meio de intervenções anualmente, e o número é dividido igualmente para homens e mulheres, ou seja, 50% para cada lado.

Esse aumento na procura pelas intervenções é por consequência do avanço da tecnologia, aperfeiçoamento das técnicas e, consequentemente, da eficácia dos resultados.

Porém, muitas questões devem ser levadas em consideração antes de optar por uma cirurgia plástica.

O primeiro questionamento é se realmente é necessário realizar o procedimento.

Muitas pessoas acreditam que essa pode ser uma alternativa que mudará completamente a sua vida ou desejam fazê-las simplesmente para serem aceitas por outras pessoas, como namorado, marido, amigos e até mesmo família.

Esse passo só deve ser dado quando o lado emocional estiver devidamente equilibrado.

Perguntas frequentes sobre cirurgia plástica

Como escolher um cirurgião plástico?

A escolha do profissional está diretamente ligada ao resultado da operação. Por isso, o primeiro fator a ser considerado é a competência e ética do especialista.

Verifique se o médico escolhido é membro da SBCP, se realiza a cirurgia plástica na presença de um anestesista e se o local possui fiscalização da Vigilância Sanitária.

Um levantamento feito pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, Cremesp, mostrou que 97% das falhas em cirurgias plásticas foram cometidas por profissionais que não têm especialização no setor.

Vale ressaltar, que a atual legislação não obriga que o médico tenha aptidões específicas para atuar no segmento, o que coloca muitos pacientes em risco.

Vou ficar com cicatrizes?

Cada operação tem a sua particularidade, porém, toda incisão deixará marcas. No entanto, a maioria fica quase imperceptível com o passar do tempo.

É importante que o paciente explique para o especialista se tem propensão a desenvolver queloide e obedecer rigorosamente às instruções médicas no pós-operatório.

Qual é a idade ideal para

fazer a cirurgia?

Os cirurgiões plásticos indicam as intervenções após o período de puberdade. Uma operação antes desse período deve ser avaliada pelo especialista e pelos pais.

Antes dos 16 anos de idade, geralmente, o corpo não se desenvolveu totalmente e o indivíduo ainda não possui maturidade suficiente para decidir se realmente é o momento certo para dar esse passo.

Por outro lado, adolescentes ganham mais confiança ao resolver um problema estético e mudam de comportamento, atitude que interfere na vida social e resolve problemas de isolamento.  Por isso, essa possibilidade deve ser avaliada por um especialista.

Em que momento são decididos os detalhes da cirurgia plástica?

São definidos a partir da primeira consulta com o médico. Por isso, é muito importante que o paciente seja sincero sobre seus hábitos de vida, condições de saúde e medicamentos.

A anestesia, por exemplo, é determinada com base nas suas respostas. Ou seja, o sucesso operação também depende você.

É muito importante procurar um profissional de sua confiança antes de se submeter a um procedimento cirúrgico.

Desconfie de preços muito abaixo da média. Na maioria das vezes eles podem representar um grande risco para a sua saúde!