Saturday | December 5, 2020

Joe Biden – O novo provável presidente dos Estados Unidos!

Por: BBC Brasil

Saiba um pouco mais sobre Biden, sua história de vida e carreira política.

Com 77 anos e a vida pessoal marcada por uma grande tragédia, na qual ele perdeu em um acidente de carro,  a esposa (Neilia) e a filha (Naomí), de apenas 1 ano de idade,  no ano de 1972. Anos depois, em 2015, Biden perdeu outro filho, que faleceu aos 46 anos, por causa de um câncer cerebral. Mesmo com tantas perdas pessoais, Biden seguiu em frente e construiu uma carreira política admirável. 

Joe Biden, foi Senador no Estado de Delaware por seis mandatos consecutivos e conquistou nas últimas eleições, a Presidência da Repúblida dos Estados Unidos.

Joe nasceu na Pensilvânia, em 1942, é advogado e não esconde o orgulho que tem de suas origens simples. Filho de um vendedor de carros, ele sempre fala da necessidade de apoiar e defender os direitos dos trabalhadores. 

Esta não é a primeira vez que Biden se candidata à presidência, em 1988 e também em 2008, Joe tentou, mas foi derrotado. 

Entre 2009 e 2017, Biden foi o Vice-Presidente dos Estados Unidos ao lado de Barack Obama e conquistou durante esse tempo, o carisma e apoio da população negra e também dos imigrantes que vivem nos EUA. Talvez isso explica ele ter sido nessas eleições de 2020, o candidato mais votado em toda a história dos Estados Unidos. O último recorde era de Obama, nas eleições de 2008.

Entre outras coisas, Biden prometeu mudanças e reformas “profundas” para o sistema de justiça, e para isso, nomeará uma comissão bipartidária. 

“Se eu for eleito, criarei uma comissão nacional bipartidária com acadêmicos, democratas, republicanos, progressistas e conservadores e pedirei a todos que me façam recomendações, no prazo de 180 dias, para uma reforma profunda dos tribunais”, disse Biden.

Entre seus eleitores imigrantes, os brasileiros se destacam por uma quase unanimidade, principalmente no Estado da Geórgia, que  é conhecida como um dos Estados mais racistas dos Estados Unidos, consequentemente, dominado por republicanos que estão nesse momento apavorados com o crescimento dos eleitores imigrantes, que aumentou consideravelmente nessas ultimas eleições. O que pela primeira vez na história, mudou o rumo e os resultados das eleições no Estado. O número de imigrantes do mundo inteiro no Estado da Geórgia é muito alto, a comunidade brasileira por exemplo, é composta por mais 80.000 brasileiros, e desses 80 mil, muitos já são cidadãos americanos e em sua maioria, fizeram questão de sair de suas casas, mesmo em meio à pandemia do Coronavirus para votar.  

Nos últimos anos a Geórgia foi um dos Estados que mais perseguiu e descriminou imigrantes ilegais, muitas famílias foram separadas, muitas pessoas perderam o trabalho e entre os imigrantes, já existem muitas pessoas com quadro de depressão e pânico, por conta de questões imigratórias. Tudo isso é creditado ao governo Trump e à sua intolerância com relação aos ilegais. Verdade ou não, isso refletiu visivelmente no resultado das eleições e com certeza, derrotou Trump em outros Estados também, onde há grandes concentrações de imigrantes. 

Enfim, o Estado é um Estado visivelmente dividido, cada um com seus argumentos. Alguns mais, outros menos convincentes. 

Jeff Collier, americano, residente do Estado da Geórgia, representa bem a maioria dos eleitores de Donald Trump, que perguntado sobre os motivos que o levaram a votar em Trump, declarou: “Votei em Trump porque ele não é político. Ele fez exatamente o que disse que faria. Ele baixou os impostos, removeu regulamentações, teve o menor desemprego de negros e hispânicos na história da América,  criou a melhor economia da nossa história, e mesmo sendo atacado por todos, ninguém conseguiu provar nenhuma acusação contra ele. Todos os ataques contra Trump caíram por terra e não foram provados.” 

Maria Silva, Brasileira/Americana, residente também no Estado da Geórgia, representa claramente o posicionamento dos imigrantes que votaram em Biden:

“Votei no Biden por que não concordo com a arrogância de Donald Trump, nem com a falta de critérios dele ao deportar ilegais. Separando famílias, discriminando pessoas e causando sofrimento aos imigrantes. E ainda tem o fato de que Biden tem mais experiencia para liderar o País e deixa-lo mais alinhado e harmonia com o resto do mundo.

O que não podemos negar, é que depois de uma longa história política entre Democratas e Republicanos, agora temos um terceiro modelo de governo, o governo Trump, que quebrou de maneira chocante, e porque não dizer “admirável”, todos os paradigmas e padrões de comportamento que os presidentes americanos tinham como modelo a ser seguido.

O que todos nós esperamos, é que Biden, use de sua extrema e notória sabedoria, para absorver e dar continuidade à todos os pontos positivos, que tanto encantaram os americanos durante o governo de Donald Trump. Se antes, republicanos e democratas se espelhavam e dois padrões de governo completamente arcaicos, talvez agora, depois de Trump, a política americana consiga inovar, superando as expectativas dos cidadãos americanos. 

Entre a comunidade imigrante, além de um bom presidente, o que mais se espera é que ele seja enfim, um presidente justo e cumpridor de suas promessas. O imigrante ilegal que já está aqui a muitos anos quer ser legalizado, quer o direito de trabalhar e viver com dignidade, e a verdade é que até agora nem Donald Trump e nem Barack Obama fizeram nada a respeito disso. Ao contrário, os dois presidentes ignoraram e empurraram com a barriga a reforma imigratória. 

Enfim, começa agora mais um tempo de expectativa e ansiedade no meio dos imigrantes e esse sentimento foi constante durante todo o mandato de Obama. Mas se transformou em medo e pânico durante todo o mandato de Trump.