Saturday | September 26, 2020

O combate ao terrorismo faz-se de Grand Cherokee

A polícia italiana acaba de ver a sua frota reforçada com várias unidades do Grand Cherokee, especialmente preparadas para poderem ir a todo o lado. O combate ao terrorismo também é todo-o-terreno.

É histórica a parceria que une a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) aos Carabinieri italianos. Essa relação, que remonta ao pós Segunda Guerra Mundial, altura em que as viaturas de patrulha ostentavam a marca Alfa Romeo, evoluiu para a integração de modelos Jeep na frota das autoridades italianas, depois de a FCA ter assumido o controle da marca norte-americana. E se o Wrangler e o Renegade já alinham pelas ‘forças do bem’, agora foi a vez de o Grand Cherokee dar entrada no grupo, passando a locomover a unidade antiterrorismo.

Até ao final do ano, estarão ativos 19 dos Grand Cherokee que a Jeep vai preparar especialmente para este serviço, com a garantia de que estes Jeep serão (mesmo) imparáveis. Além de exibirem a cor azul da farda dos Carabinieri, os Grand Cherokee possuem vários componentes blindados, incluindo pára-brisas e vidros laterais, pneus e carroçeria. A isso somam capacidades de manobra em todo-o-terreno reforçadas, pois a suspensão também foi revista, com o intuito de oferecer “um veículo tático capaz garantir segurança ao mais elevado nível aos homens e mulheres da Força”. Sob o capô encontra-se o motor diesel de 3 litros V6 Multijet com 190 cv, acoplado a uma transmissão automática de oito velocidades e tração às quatro rodas. Já no interior, foi integrada a tecnologia utilizada pelos Carabinieri, incluindo o sistema Odino que se liga em tempo real à base de dados compartilhada da polícia italiana, às autoridades de registo de veículos e à associação de seguradoras. O sistema opera com um tablet Android de 7”, colocado em guias deslizantes localizadas no painel.