Home Destaque Como lidar com a ansiedade durante o período de competições

Como lidar com a ansiedade durante o período de competições

101
0

No artigo de hoje, vamos explicar o que é a ansiedade no contexto da prática esportiva. Este artigo pretende ajudar não somente os atletas profissionais, mas também atletas amadores que queiram performar melhor em seus respectivos esportes.

Vamos iniciar definindo o que é a ansiedade competitiva. A ansiedade competitiva é uma emoção negativa específica quando um atleta percebe fatores estressantes como ameaças incertas (nossa mente traduz estes eventos como algo que possa custar nossa vida) gerando um alto nível de preocupação e excitação fisiológica.

Atletas em todos os níveis passam por momentos de alto nível de estresse que ativa o modo de sobrevivência do nosso corpo. Esse sentimento é tão forte que ele bloqueia sinais do nosso córtex pré-frontal, responsável por nossas decisões racionais e lógicas e a partir destes momentos agimos apenas de forma extintiva.

Apenas com essa definição fica claro que a ansiedade prejudica muito a performance esportiva (conceito que pode ser utilizado para todas as áreas de nossa vida). A preocupação é definida como ansiedade cognitiva, e muito prejudicial à performance. Vale ressaltar que existe um nível de ansiedade que é positiva.

Muitos atletas entendem que, caso estejam em um nível emocional alto, isso contribui muito para a performance. Aliás, atletas precisam estar em um estado emocional otimizado para alta performance, aumentando o senso de urgência e entrega durante a atividade. Já pensou um atleta jogando futebol com nenhuma vontade, entrega e determinação? Isso é tão ruim quanto um atleta altamente emotivo que vai fazer coisas que não condizem com as regras do jogo e até mesmo regras morais de nossa sociedade, como por exemplo, agredir um adversário em uma partida de futebol.

Em relação a ansiedade, a parte emocional está relacionada em achar um nível de intensidade que ajude o atleta a performar o seu melhor, ou seja, nem muito baixo, nem muito alto. A ansiedade também está muito relacionada com o nível de autoconfiança, lembrando que a confiança consiste em 3 aspectos: a preparação, diálogo interno e perspectiva.

Em muitos casos, os níveis de ansiedade estão relacionados ao nível de autoconfiança de um atleta. Imagina comigo um atleta que entende que não está 100% preparado para uma competição, como você acredita que o nível de ansiedade dele vai estar na véspera de competir e no momento da competição? Com certeza muito alto.

Uma pesquisa muito interessante realizada com diversos atletas, Jones (1995), concluiu que atletas que acreditam que possuem o controle sobre situações de alto nível emocional são melhores em administrar sintomas de ansiedade, aumentando assim suas chances de atingir seus objetivos.

Este estudo também identificou o contrário, atletas que acreditam que não possuem controle de situações de risco, possuem muita dificuldade em administrar na ansiedade e não conseguem atingir seus objetivos com precisão. Entenda que neste caso, a variável está na mentalidade de cada atleta, que é um dos pilares da performance mental.

Um estudo muito interessante realizado sobre a ansiedade analisou atletas de diversos níveis de habilidades, desde amadores que praticam com frequência quanto profissionais de elite. Obviamente atletas de elite conseguem lidar melhor com a ansiedade, porém esta habilidade está acessível para todos os atletas que escolherem treinar esta área da performance.

Atletas de elite geralmente são mais focados em seus objetivos, a expectativa de que irão conquistar resultados positivos também é maior, com essa maior expectativa e foco, os atletas conseguem lidar melhor com o estresse competitivo e como consequência minimizar a ansiedade que esta pode causar.

Aqui fica uma dica importante para atletas amadores: tenha objetivos mais definidos e estratégias de como chegar lá. Não precisa ser algo gigantesco, mas um objetivo que te faça feliz e que você realmente acredita que consegue alcançar.

Existem algumas variáveis pessoais que podem afetar a percepção da ansiedade de maneira mais negativa, ou positiva, algumas delas são: Viés cognitivo, habilidades psicológicas e personalidade. Essas variáveis são consideradas importantes, pois elas definem a nossa percepção de o que é positivo e negativo em relação a comportamentos não somente de nós mesmo, mas de situações que ocorrem ao nosso redor.

Estudos apontam também que atletas com um alto nível de resiliência conseguem administrar seus níveis de ansiedade com muito mais facilidade, situações estressantes também possuem menor impacto no aspecto emocional e como consequência as atitudes também são muito mais positivas. Vale lembrar que resiliência é a habilidade de se recuperar caso algo negativo ocorra. Existem diversas maneiras de diminuir o impacto da ansiedade em um atleta, como já mencionei acima.

O objetivo nunca é zerar o nível de estresse, pois o atleta necessita deste estresse para conseguir um alto nível de motivação, gerando um senso de urgência muito grande e consequentemente otimizando a performance. Uma das melhores ferramentas para controle da ansiedade é a famosa meditação e imagem mentais. Já falamos sobre a  importância da meditação no esporte, caso queira saber mais, veja as edições passadas, com certeza vai te ajudar muito.

Vamos compreender como a criação de imagens mentais pode ajudar atletas de todos os níveis a lidar com ansiedade. Utilizar imagens mentais é essencial, pois esta ferramenta consegue manipular nossas interpretações baseadas nas circunstâncias que já sabemos que vamos presenciar, por exemplo: um jogador de futebol que é atacante sabe que não vai acertar todos os chutes e com o recurso de imagens mentais ele consegue visualizar esta situação e definir qual seria a melhor reação no momento que isso acontecer. Imagens mentais podem ser usadas por todas as pessoas e para todas as circunstâncias.

Atletas de alta performance utilizam deste recurso para ajudar na preparação précompetição, quanto mais próximo está o início do campeonato ou partida, maior o nível de pressão e estresse. A meditação combinada com a imagem mental, ajuda muito o atleta a competir estando em um nível emocional mais otimizado para a alta performance.

Várias habilidades psicológicas trabalhadas com harmonia e afinco, podem render muitos benefícios para atletas de todos os esportes, habilidades como: definir objetivos claros, imagem mental como já citamos, e aprimoramento do diálogo interno, inclusive, esse é um ponto extremamente importante. Nosso diálogo interno nunca pára, estamos sempre conversando com nós mesmos, porém, é muito difícil termos uma consciência do que está sendo dito. Ter um diário para escrever os pensamentos é algo que ajuda muito, quanto mais você se conhece, melhor você consegue manipular suas emoções e otimizá-las para atingir resultados mais satisfatórios.

Outro fator que eu gostaria que você que está lendo este artigo desse bastante atenção, é a autoconfiança, pois a autoconfiança cria um plano de ação para melhorar os três pilares que mencionamos neste artigo e com certeza o resultado será muito positivo.

É bom entender que este não é um processo fácil, treinamento mental é muito complicado e como qualquer outra habilidade requer tempo além de um treinamento bem detalhado que visa melhorar áreas específicas de cada atleta. Cada pessoa responde de uma maneira diferente mesmo estando em um mesmo ambiente. Não existe certo, ou errado, mas sim a atitude mais otimizada que pode te levar para mais perto de seus objetivos.