Home Datas Comemorativas Celebrando o dia dos pais nos Estados Unidos!

Celebrando o dia dos pais nos Estados Unidos!

59
0
Viver Magazine Revista Brasileira nos Estados Unidos
Viver Magazine Revista Brasileira nos Estados Unidos

Nos Estados Unidos costuma-se comemorar com celebrações semelhantes ao do dia das mães. É comum as famílias de juntarem para um almoço ou jantar de comemoração, o que é visto como uma oportunidade para que os filhos que já saíram de casa, revejam seus pais.

Do dia 19 de junho, a comemoração passou para o terceiro domingo de junho. Em 1972, o presidente Richard Nixon declarou o terceiro domingo de junho como o dia oficial da comemoração do dia dos pais. Esta data foi escolhida por ser o dia do nascimento do pai de Sonora Louise Dodd, filha de William Jackson Smart.

Essa data foi adotada como modelo por vários países ocidentais. Somente em 1972 o então presidente Richard Nixon assinou a lei que oficializava o dia dos pais, que seria comemorado no terceiro domingo de junho. É assim que acontece até hoje.

No Brasil, o Dia dos Pais é celebrado sempre no segundo domingo de agosto. A ideia da comemoração surgiu de uma ação do publicitário Sylvio Bhering e foi comemorado pela primeira vez em 1953. O objetivo era estimular o comércio no segundo semestre, já que o Dia das Mães movimentava a economia no primeiro semestre e o Natal no fim do ano.

Argentina, Inglaterra e Peru acompanham a tradição dos Estados Unidos e celebram esse dia no terceiro domingo de junho. Canadá e Grécia também comemoram o Dia dos Pais em junho, mas nos dias 17 e 21, respectivamente. Já no Paraguai a data é celebrada no segundo domingo do mês de junho.

Independente se você esta’ no Brasil ou aqui nos Estados Unidos, o importante e’ celebrar com aquela pessoa que melhor representa a referencia de um pai para você. E se por acaso você não tiver essa referência, sinta-se abraçado por nós. 

Para incentiva-lo e inspira-lo a encontrar maneiras para estreitar os laços entre pais e filhos,  colocamos abaixo uma historia emocionante, que ira fazer com que você reflita sobre o quanto e’ importante que um filho entenda e sinta o amor e a proteção de um pai.

Muitos pais trabalham muitas horas do dia. Quando chegam à casa, encontram o filho dormindo. E, quando saem para trabalhar, ele ainda está dormindo. Esse pai encontrou uma forma muito significativa de mostrar a seu filho que sempre esteve presente em sua vida, mesmo que não parecesse. Deixe-se emocionar por essa história infantil cheia de verdades.

Um nó no lençol: História de amor emocionante

Na reunião de pais de família de uma escola, a diretora ressaltava o apoio que eles deveriam dar a seus filhos. Ela entendia que, embora a maioria dos pais da comunidade fossem trabalhadores, deveriam buscar ter mais tempo para se dedicar e estar com as crianças.

Entretanto, a diretora se surpreendeu quando um dos pais se levantou e explicou que não tinha tempo de falar com seu filho durante a semana.

Quando saía para o trabalho era muito cedo e seu filho ainda estava dormindo. E, quando voltava para casa, era muito tarde e a criança já estava dormindo.

Além disso, explicou que tinha que trabalhar dessa forma para sustentar a família.

Acrescentou que não ter tempo para o filho o angustiava muito. No entanto, buscava compensar a falta dando-lhe um beijo todas as noites, quando chegava a casa. E, para que seu filho soubesse que ele havia ido vê-lo enquanto dormia, fazia um nó na ponta do lençol.

Quando meu filho se levanta e vê o nó, sabe que seu pai esteve ali e o beijou. O nó é o meio de elo de comunicação entre nós.

A diretora se emocionou com aquela singular história. Surpreendeu ainda mais quando comprovou que o filho daquele homem era um dos melhores alunos da escola.

Esse fato nos faz refletir sobre as muitas formas em que as pessoas podem estar presentes e se comunicar com os outros.

Aquele pai encontrou sua forma, uma forma simples, mas eficiente. E o mais importante é que seu filho percebia, através do nó, todo o afeto de seu pai.

Algumas vezes nos preocupamos tanto com a forma de dizer as coisas que esquecemos o principal: a comunicação através do sentimento.

Simples detalhes como um beijo ou um nó na ponta do lençol significavam para aquele filho muito mais do que um monte de presentes ou desculpas vazias.

É válido que nos preocupemos pelas pessoas. Mas o mais importante é que elas saibam e possam sentir nossa preocupação e carinho com elas.

Para que exista a comunicação, é necessário que as pessoas ‘escutem’ a linguagem de seu coração, já que os sentimentos sempre falam mais alto que as palavras. É por esse motivo que um beijo, revestido do mais puro afeto, cura a dor de cabeça, o machucado no joelho ou o medo da escuridão.

As pessoas talvez não entendam o significado de muitas palavras, mas sabem distinguir o gesto de afeto e amor, embora esse gesto seja somente um nó no lençol. Um nó carregado de afeto, ternura e amor.

Há muitas maneiras de estarmos presentes na vida de nossos filhos, mesmo quando não estamos. Pais que trabalham fora todo o dia tendem a sentir-se culpados por perder momentos especiais da vida de seus filhos. Na realidade, e esse é um tema a ser ainda amplamente discutido em nossa sociedade. Acredito que deveríamos ter melhores condições de trabalho para poder conciliar os horários com a maternidade/paternidade. Infelizmente, falta muito para chegarmos a isso.

Enquanto esse momento não chega, se você enfrenta situação similar ao do pai desta história de amor emocionante, tente-se conectar com seu filho da melhor maneira possível.