Home Destaque ICEJ – international Christian Embassy Jerusalem Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém

ICEJ – international Christian Embassy Jerusalem Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém

26
0

Vamos conhecer um pouco sobre a ICEJ? Qual é o trabalho
realizado pela Embaixada Cristã em Jerusalém?
Em 30 de setembro de 1980, a Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém foi inaugurada em uma cerimônia com a
presença de 1.000 cristãos de 32 nações que se reuniram na
Cidade Santa para a primeira celebração cristã pública da Festa
Bíblica dos Tabernáculos. O amado prefeito de Jerusalém, Teddy
Kollek, oficiou na abertura e comentou: “Esta foi uma das cerimônias mais emocionantes que já participei na minha vida”.
Em seus primeiros anos, o apoio mais forte da ICEJ veio de
cristãos evangélicos em nações ocidentais, que se identificaram
intimamente com o mandato da Embaixada de “confortar” o
povo judeu em resposta à longa e triste história do antissemitismo cristão. Nas décadas mais recentes, no entanto, o movimento evangélico experimentou um enorme crescimento na América Latina, África e Ásia, onde agora existem dezenas de milhões
de novos cristãos que têm um amor e zelo notável por Israel
e estão procurando se conectar com o Estado judeu e pessoas
através da ICEJ.
Hoje, a Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém permanece na vanguarda do movimento sionista cristão global,
com agências e representantes em mais de 90 nações e apoiadores provenientes de mais de 170 países em todo o mundo.
A Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém representa
os cristãos de todo o mundo que apoiam Israel e, são solidários com a profunda conexão do povo judeu a Jerusalém. A ICEJ
reconhece, na restauração moderna de Israel, a fidelidade de
Deus em cumprir Suas antigas promessas de aliança com o povo
judeu.
A Embaixada Cristã continua a perseverar em seu mandato
de fundação de:
• Ser uma fonte de conforto para o povo judeu de
acordo com Isaías 40:1.
• Incentivar os cristãos a orar pela paz em Jerusalém
e na terra de Israel.
• Ensinar e equipar a Igreja global em relação aos
propósitos de Deus para Israel e o Oriente Médio hoje.
• Defender Israel em todo o mundo e combater o
antissemitismo em todas as suas formas.
• Envolver-se em projetos benevolentes para o
bem-estar de todos os povos da terra de Israel.
• Trazer a reconciliação entre judeus, cristãos e árabes e apoiar as igrejas e congregações da Terra Santa.

A ICEJ permanece na vanguarda do movimento sem precedentes e sempre em expansão entre os cristãos em todo o
mundo que estão com Israel e o povo judeu em amizade sincera
e em obediência às Escrituras. Procuramos expressar de maneira prática nossa dívida para com o povo judeu por todas as
bênçãos espirituais que recebemos por meio dele, bem como
nossa dívida moral à luz da longa e trágica história do antissemitismo cristão.
A ICEJ é um ministério religioso não denominacional, apoiado pelas doações de nossos amigos e apoiadores em todo o
mundo. A Embaixada Cristã não é uma missão diplomática credenciada, mas representa dezenas de milhões de cristãos em
todo o mundo, incluindo muitas igrejas e denominações inteiras, que compartilham uma cosmovisão bíblica que os compele
a abençoar e confortar Israel em nossos dias.
A ICEJ foi fundada em Jerusalém em setembro de 1980 por
cristãos de 32 países que procuraram dar voz e expressão
prática às visões bíblicas de milhões de cristãos a respeito de
Israel – visões que nossos governos raramente compartilham.
Hoje, estamos conectando a Igreja em todo o mundo com o que
Deus está fazendo em Israel, por meio de nossas agências e
representantes em mais de 90 nações em todo o mundo e apoiadores em mais de 170 países ao redor do globo. Nossa visão
é expandir esta ampla rede internacional de cristãos pró-Israel
comprometidos em abranger todas as nações da Terra.
Desde o nosso início, a ICEJ tem um histórico comprovado
de alcançar com o genuíno amor cristão e preocupação de todas as comunidades em Israel – sejam judias, árabes, cristãs,
muçulmanas, drusas ou beduínas. Ao mesmo tempo, a ICEJ tem
uma vocação distinta para ser um ministério de conforto ao
povo judeu, particularmente em resposta ao trágico legado do
antissemitismo cristão.
Hoje, estamos ajudando judeus a voltar para seu lar em
Israel, cuidando dos idosos sobreviventes do Holocausto, alcançando jovens em risco, auxiliando minorias, patrocinando
programas de educação para alunos com mérito, fornecendo
abrigos antibomba para comunidades das fronteiras em conflito e muito mais. Enfim, a ICEJ visa impactar todos os setores
da sociedade israelense com atos tangíveis que testemunham o
amor cristão e a bondade para com esta nação.
Nosso Chamado Bíblico
Desde o início, os fundadores da Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém receberam um mandato claro das Escrituras
para serem um “ministério de conforto” para Israel e o povo
judeu, baseado em Isaías 40:1-2.
Isaías foi um dos grandes profetas hebreus enviados para
alertar a nação de Israel sobre o iminente julgamento e exílio
devido ao seu pecado e rebelião. No entanto, Isaías sempre
deixou seu povo com a esperança de retorno, sabendo que um
dia um Deus fiel e imutável certamente os traria de volta à Terra
prometida a Abraão como uma “propriedade perpétua” (Gênesis 17:8). Este reagrupamento prometido é um tema recorrente
nos capítulos 40 a 66 de Isaías e, portanto, esta porção da Escritura é muitas vezes referida como o “Isaías do Conforto”.
O capítulo 40 de Isaías começa com uma ordem divina a
um povo gentio que segue o Deus de Israel para ir e “confortar” o povo judeu com a mensagem de que seu tempo de exílio de Jerusalém e serviço árduo entre as nações está no fim.
Muitos cristãos hoje podem identificar-se prontamente com
este mandato bíblico, primeiro porque testemunhamos nos
tempos modernos o notável reajuntamento do povo judeu de
volta à sua antiga pátria como prometido por Deus. Também
reconhecemos com profundo pesar que nossos antepassados
cristãos muitas vezes agravaram o sofrimento judaico no exílio
ao longo dos séculos, motivando-nos a procurar agora curar as
muitas feridas infligidas em nome de Cristo.
Esses eram cristãos que acreditavam que Deus havia rejeitado os judeus por rejeitarem Jesus, porque isso é o que eles
teriam feito. Mas as Escrituras o descrevem como totalmente
fiel e imutável, de tal forma que “é impossível que Deus minta”
(Números 23:19; Malaquias 3:6; Hebreus 6:18). Essa natureza
imutável do caráter de Deus não é um conceito fácil para os humanos entenderem, porque somos falíveis e vemos Deus como
sendo muito parecido conosco. No entanto, Deus é totalmente
fiel e confiável, e nosso apoio a Israel hoje está ancorado na
absoluta fidelidade de Deus para sempre cumprir Suas promessas, incluindo aquelas que Ele fez a Israel.
Assim, procuramos dar real significado e expressão à injunção bíblica de “confortar” Israel (Isaías 40:1-2). Em outras
partes das Escrituras, somos orientados a “abençoar” Israel
(Gênesis 12:3) e “orar pela paz de Jerusalém” (Salmo 122:6). No
Novo Testamento, o apóstolo Paulo também encoraja os cristãos gentios a “ter misericórdia” para com o povo judeu (Romanos 11:31-32), acrescentando que somos devedores a eles
por todas as bênçãos espirituais que recebemos por meio de
Israel (Romanos 15:26-27). Então você está convidado a se juntar a nós em nosso chamado bíblico para confortar Israel.

No Que Cremos
Cremos:
1. Na Trindade – Deus se revelou em três pessoas, oPai, o Filho e o Espírito Santo.

2. Na Divindade de Jesus – Ele é a expressão plena de Deus em forma corporal; Ele é totalmente Deus e totalmente homem.

3. Na pessoa e na obra do Espírito Santo – Ele capacita os cristãos para testemunhar no mundo e, portanto, valida a pregação fiel da palavra de Deus

4. a inspiração das Escrituras – Toda a Escritura é divinamente inspirada.

5. Na consumação da obra de Jesus na Cruz como a
única base de salvação para todos os homens, independentemente de serem judeus ou gentios; esta obra
de salvação é apropriada somente pela fé.

6. No retorno físico e visível de Jesus no Monte das
Oliveiras.

7. Na igreja local, que é o corpo bíblico de Cristo e todos os cristãos em Jesus devem se reunir em um deles.

Cremos sobre Israel

1. Cremos que a Bíblia atesta o chamado de Deus único e duradouro e a eleição do povo judeu como um instrumento de redenção mundial, que ainda é relevante e ativo hoje na restauração de Israel em sua antiga pátria.

2. Cremos que esta restauração moderna de Israel é uma evidência da fidelidade de Deus à Sua aliança eterna feita com Abraão.

3. Nossa posição com o povo judeu, portanto, é baseada nas alianças eternas de Deus, conforme descrito na palavra de Deus (Gênesis 12; 15, etc.) e não nas profecias do ‘Tempo do Fim’.

4. Reconhecemos, no entanto, que vivemos em uma época de cumprimento e restauração para Israel que tem se desenrolado nos tempos modernos e foi predita por muitos profetas bíblicos (por exemplo, Ezequiel 36: 22).

5. Não aceitamos a noção de que diferentes caminhos podem levar à salvação; em vez disso, preferimos acreditar que há apenas um caminho para Deus por meio de Seu filho Jesus Cristo e da Nova Aliança que ele estabeleceu.

5. Não aceitamos a noção de que diferentes caminhos podem levar à salvação; em vez disso, preferimos acreditar que há apenas um caminho para Deus por meio de Seu filho Jesus Cristo e da Nova Aliança que ele estabeleceu.

6. Oferecemos nosso apoio ao povo judeu, independentemente de sua posição espiritual (Romanos 3:28), mas também reconhecemos a importância do Corpo local e crescente do Messias na Terra de Israel.

7. Honramos e enfatizamos as raízes hebraicas de nossa fé cristã alicerçada no Antigo Testamento, mesmo quando alertamos fortemente os cristãos gentios contra se sujeitarem à lei ou crerem na salvação pelas obras.

8. Permanecemos incondicionalmente com o destino divino do povo judeu de volta à sua terra, mas também reconhecemos o chamado único e bíblico das nações árabes ao redor de Israel em Seu plano de salvação para todos os povos que vivem no Oriente.