Home Matérias O que é a energia mental no esporte

O que é a energia mental no esporte

33
0
O que é a energia mental no esporte
O que é a energia mental no esporte

Nos últimos anos a atenção para a Performance Mental vem crescendo muito entre atletas de todos esportes e níveis. Uma das pessoas que está ajudando muito a criar essa atenção é o treinador do Palmeiras, Abel Ferreira. 

Abel não somente é muito competente na parte técnica e tática, mas ele entende muito bem a importância da parte mental no futebol (e em todos os esportes) e é de fato um de seus maiores diferenciais como técnico. 

O calendário do futebol brasileiro é muito apertado, jogos a cada três dias, e em alguns casos de dois a dois dias. Não é uma tarefa fácil preparar os atletas em tão pouco tempo. Porém como ainda não existe solução para estre problema do calendário cada clube precisa se preparar da melhor maneira possível para que seus atletas estejam aptos a performar o melhor nos dias de jogos.

O Abel Ferreira, em praticamente todas as entrevistas coletivas cita não somente o cansaço físico, mas também o cansaço mental. Muitos jogadores também comentam bastante sobre isso e a dificuldade que é estar sempre pronto mentalmente para disputar um jogo em alto nível.

Mas o que é esse cansaço mental tão falado? Hoje vamos aprender como a ciência explica esse fator e o que podemos fazer para remediar e diminuir as consequências negativas que uma mente cansada pode trazer em nossa vida.  

Em uma temporada, um time pode jogar mais de 80 partidas e viajar mais de cem mil quilômetros, isso incluindo treinamentos e jogos, essa carga gigantesca de jogos causa um impacto muito grande na parte física, tática, técnica, emocional e cognitiva. A demanda por manter um nível de performance elevado é muito grande e a pressão vem por todos os lados, a torcida, jornalistas, programas esportivos, diretoria e do próprio atleta.

Como os jogos e treinos são muito colados, por exemplo, o time joga em um domingo, descansa na segunda, treina na terça e joga na quarta. Isso aumenta bastante a demanda cognitiva do atleta para tomada de decisões, ou seja, maior número de decisões em um menor período de tempo. 

Para exemplificar vamos analisar alguns números que irão ajudar a entender esse processo de uma maneira mais tangível, uma pessoa na média toma 6.000 decisões por dia, um atleta profissional de futebol toma 2.500 decisões em um jogo de futebol de 90 minutos. Vamos lembrar que essas decisões iniciam em nossa mente e afetam toda a parte física, técnica e tática. 

É importante lembrar também que o nosso corpo todo é um sistema interconectado onde um fator influencia o outro, da mesma maneira que a mente influencia a parte física, o oposto também é verdadeiro.

Com relação a parte psicológica, para que possamos entender melhor o cansaço mental vamos dividir aqui em dois aspectos, o primeiro são os aspectos psicológicos como por exemplo a personalidade, liderança, motivação entre outros, aspectos que caracterizam o indivíduo. O outro aspecto é o cognitivo, como por exemplo, memoria, percepção, processamento de informação, tomada de decisão, entre outros.

Cansaço mental então seria o sentimento que possuímos quando estamos em um longo período de elevada atividade cognitiva. Acredito que muitos de nós já passamos por isso quando estamos estudando para algum teste ou trabalhando muito tempo no computador, sentimos nossa cabeça como se fosse explodir, mesmo que a atividade física fosse mínima. Um atleta profissional sofre a mesma coisa, porém com a variável da parte física, que é muito exigida durante treinos e competições.

Quando um atleta está competindo em alto nível em um ambiente de muito estresse algumas mudanças químicas ocorrem no cérebro, mudanças que causam uma queda muito significante no nível de motivação e engajamento do atleta para com sua atividade, como consequência uma quebra muito grande de performance.

Essa é uma das razões que vemos um jogador muito bom, em uma partida performar muito mal, não conseguir fazer nada. Essa situação também influencia na parte física, podendo deixar o atleta mais propenso a lesões. 

Quanto mais treinos, e jogos, maior a capacidade cognitiva necessária, quando o jogador chega ao final da temporada, a situação é muito mais complicada, pois será aonde parte dos times estão disputando competições de mata-mata, onde quem perde está fora, e essa pressão combinada com o alto nível de performance aumenta muito mais a carga cognitiva necessária para manter o alto nível. Ou seja, quanto mais ao fim da temporada, maior é a dificuldade em manter a alta performance mental para todos os jogos.

Na teoria, jogar um jogo decisivo deveria ser algo extremamente motivador e todo jogador deveria jogar com muita vontade. Mas como vimos o cansaço mental faz com que jogadores realmente percam a motivação, afetando a parte física técnica e tática. 

Voltando a falar do treinador do Palmeiras, Abel consegue manter seus atletas motivados por toda a temporada, mesmo assim a variância de performance do time é nítida, porem em comparação com os adversários é muito menor e isso passa a ser um diferencial muito grande.

Vale lembrar que este não é somente um problema exclusivo de atletas de alta performance, pessoas como você e eu sofremos da mesma maneira e é importante entender isso para que possamos procurar ferramentas para diminuir este impacto em nossa vida, pois o cansaço mental não somente atrapalha nosso trabalho, mas também nossa relação com amigos e principalmente nossa família.