Home Matérias O que é a síndrome do impostor?

O que é a síndrome do impostor?

98
0
O que é a síndrome do impostor?
O que é a síndrome do impostor?

Pensando em esclarecer o que é a síndrome do impostor, quais são seus sintomas e como lidar com ela, trouxemos este conteúdo.

A síndrome do impostor é um desvio psicológico que afeta milhares de pessoas ao redor do mundo, trazendo dúvidas sobre si próprio e suas conquistas.

Essa é uma síndrome que traz sintomas parecidos com ansiedade, estresse e depressão, e que pode atrapalhar, e muito, o desempenho de um profissional no mercado de trabalho.

A síndrome do impostor pode ser caracterizada como um desvio psicológico que traz comportamentos pessimistas a uma pessoa em relação a si próprio e suas conquistas.

Em 1978, as psicólogas Pauline Clance e Suzanne Imes, da Universidade Dominicana da Califórnia, usaram o termo pela primeira vez em um estudo chamado “The Impostor Phenomenon in High Achieving Women: Dynamics and Therapeutic Intervention”.

No estudo, as pesquisadoras fizeram entrevistas com 150 mulheres e constataram que 70% delas já tinha se sentido uma fraude no local de trabalho.

Desde essa data, muitos estudos sobre o tema têm sido desenvolvidos.

E embora seja recorrente em estudos de psicologia e acometa milhares de pessoas ao redor do mundo, a síndrome do impostor não está presente na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID).

A síndrome do impostor nas mulheres 

Apesar de ser um desvio presente em ambos os sexos, a síndrome do impostor está muito mais presente nas mulheres.

Acredita-se que isso se dê por conta dos valores culturais impostos socialmente de que a mulher pertence às atividades do lar.

Por isso, quando está inserida no mundo do trabalho, a mulher demore a perceber o seu valor enquanto profissional.

É curioso como esses valores passados de geração em geração não afetam apenas às mulheres adultas, mas também às meninas.

Uma pesquisa percebeu que meninas de 6 anos já se sentem menos capazes do que os meninos para desenvolver habilidades e se envolver em ciências exatas.

Levando esses fatores em consideração, podemos entender que a síndrome do impostor é um desvio interno, mas também existe um caráter externo influenciador.

Quais são os sintomas da síndrome do impostor? 

A síndrome do impostor possui sintomas muito parecidos com os de outros transtornos, como a ansiedade, depressão, baixa autoestima e estresse.

Porém, ela tem algumas particularidades.

Normalmente, quem apresenta essa síndrome tem traços fortes de insegurança e baixa autoestima.

E isso faz com que quem sofra da síndrome desenvolva uma autopercepção turva, se vendo como insuficiente e incompetente.

Por consequência, a pessoa acredita que não é capaz de desenvolver atividades básicas e que não tem as qualificações e nem a experiência necessária.

A síndrome do impostor faz a pessoa sentir que, independentemente de suas conquistas, títulos e vitórias, nada do que ela faz é bom o suficiente.

A impressão que a pessoa tem é de que tudo o que ela conquistou não passa de sorte ou destino.

De maneira geral, profissões muito competitivas e ambientes que promovem a competição são onde a síndrome do impostor aparece com mais frequência.

Isso porque os profissionais presentes nesses ambientes são testados constantemente e precisam fazer seu trabalho sem apresentar falhas, gerando insegurança.

Como identificar a síndrome do impostor 

Se você não sabe identificar se está sofrendo ou não com a síndrome do impostor, existem alguns traços que podem ajudar na identificação.

Porém, aproveitamos para lembrar que a listagem abaixo não é um diagnóstico profissional.

Caso você acredite que precisa buscar tratamento, fale com um profissional.

Confira alguns dos indícios que a síndrome do impostor deixa:

Sentimento de não pertencimento 

Quem sofre com essa síndrome costuma não se sentir bem-vindo e nem pertencente aos lugares que frequenta, especialmente no ambiente de trabalho.

Isso porque existe a sensação de que a pessoa não está à altura daquele lugar e dos colegas.

Por isso, um dos impulsos é se isolar de grupos.

Procrastinação – Procrastinar, ou seja, deixar tudo para a última hora, também é um dos indícios da síndrome.

Isso porque as pessoas sofrem com a insegurança de realizar uma tarefa e não conseguir fazê-la da maneira correta.

Autossabotagem

Outro indício comum é a autossabotagem, e ela aparece em estratégias que a pessoa cria para fugir de situações e experiências nas quais não se sente segura.

Essa é uma característica que acontece de forma inconsciente, impulsionada pela insegurança de que a pessoa não tem qualificação para realizar uma tarefa.

Autocrítica excessiva

Todos nós precisamos ter autocrítica, porém quem tem síndrome do impostor acaba exagerando.

Isso resulta em a pessoa se autodepreciar constantemente e evidenciar seus defeitos.

Como acreditam que estão sempre cometendo erros, esse é um indício dos mais fortes.

Comparação  Justamente porque acreditam serem inferiores e não tão qualificados, as pessoas que sofrem dessa síndrome acabam sempre caindo na comparação com seus colegas e pessoas próximas.

Elas não enxergam suas qualidades, então acabam comparando seus defeitos às qualidades dos outros.

O que reforça a visão negativa se si próprias.

Necessidade de agradar – Como consequência de todos os outros indícios, o perfeccionismo costuma ser uma característica forte de quem tem síndrome do impostor.

Isso porque a pessoa quer evitar ao máximo as críticas e fracassos. Logo, se cobra para fazer tudo de maneira perfeita.

Junto a isso, a síndrome traz uma busca por aprovação constante.

5 maneiras de combater a síndrome do impostor 

Dito tudo isso, existem algumas maneiras de combater alguns dos sintomas da síndrome do impostor e que podem ajudar você a vencer esse desvio no ambiente de trabalho.

Confira as nossas dicas abaixo:

1. Busque ajuda de um especialista

Como dissemos acima, se você identificou que tem três ou mais comportamentos habituais de quem apresenta síndrome do impostor, a melhor coisa a se fazer é buscar a ajuda de um profissional.

Como você pode perceber, alguns dos sintomas podem ser debilitantes e atrapalhar a sua carreira profissional.

Por isso, a orientação de um especialista pode ajudar você a lidar com o problema.

2. Construa uma rede de apoio

Algo interessante de se fazer quando você identificar que tem síndrome do impostor é criar uma rede de apoio entre seus amigos e familiares onde você se sinta confortável.

Tendo essa rede, você pode compartilhar suas angústias, pedir ajuda quando achar que está sendo crítico demais consigo mesmo e onde você terá uma opinião sem viés.

A sua rede de apoio pode ajudar você a ver problemas com mais clareza e tomar as decisões corretas para sua vida pessoal e profissional.

3. Respeite as suas limitações

Todos nós temos qualidades e defeitos, e isso é algo que você precisa aceitar como uma verdade.

Ninguém é perfeito e ninguém nunca vai conseguir ser perfeito, nem mesmo você.

Por isso, aprenda a respeitar os seus limites enquanto estudante e profissional.

Saiba como definir metas alcançáveis e não se comprometa com atividades que não poderá fazer.

4. Faça uma lista com tudo o que já conquistou

Pessoas que sofrem da síndrome do impostor não conseguem reconhecer suas vitórias, e isso é o que acaba trazendo a maior parte dos problemas.

Por isso, faça uma lista com todas as suas conquistas.

Desde as mais simples e antigas até as mais complexas e recentes, essa lista será um display da sua competência e esforço.

5. Separe um tempo para si 

Busque aqueles momentos consigo próprio onde você pode deixar qualquer sintoma de estresse, ansiedade e depressão de lado.

É importante cuidar de você. Por isso, busque dormir bem e suficiente, ter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos para se manter em atividade. Além disso, é sempre interessante meditar e ter um hobby.