Home Finanças Taxa Básica de Juros e como isso afeta teu bolso

Taxa Básica de Juros e como isso afeta teu bolso

109
0
Viver Magazine Finanças
Viver Magazine Finanças

Você já deve estar sentindo o peso da inflação no seu bolso ao abastecer o carro, ir ao supermercado e demais atividades do dia-a dia; isso se deve a excessiva oferta de capital oriunda da política de estímulo monetário do Federal Reserve System.

O FED (Federal Reserve System) foi criado em 1913 e é composto por um conselho de Governadores (Board of Governors), constituído por sete membros e com sede em Washington D.C., e por 12 bancos (Reserve Banks) localizados nas principais cidades dos EUA.

Os membros do Board são nomeados pelo presidente dos EUA e confirmados pelo Senado para um mandato de período previsto e de no máximo 14 anos. Da mesma forma são nomeados o presidente e vice-presidente desse órgão, mas para um período de 4 anos.

A principal atribuição do FED é definir a política monetária para a economia americana. Essa função é cumprida pelo FOMC (Federal Open Market Committee) que é composto por 12 membros, sendo sete deles os membros do Board e os cinco restantes, presidentes de Reserve Banks.

Oito vezes ao ano o FOMC se reúne para debater e definir qual será a FED FUNDS RATE (taxa de juros similar a taxa SELIC no Brasil – é a taxa na qual os bancos comerciais tomam emprestado e emprestam suas reservas excedentes uns aos outros, no overnight).

As decisões do FOMC são tomadas em cima de dois principais pilares: inflação e taxa de desemprego. Muitos são os indicadores levados em conta a fim de perceber a real situação da economia americana no intuito de manter um crescimento econômico sustentável (exemplo: núcleo da inflação, relatório de pedidos de bens duráveis, taxa de desemprego…).

A meta da taxa variou muito durante todos esses anos dependendo do cenário econômico em que os EUA se encontravam. No início da década de 80 chegou a 20% em resposta à inflação da época. Com a chegada da crise imobiliária de 2008 essa taxa foi sendo reduzida para valores baixos chegando ao atual patamar entre 0% e 0,25% na tentativa de estimular o crescimento econômico.

Além da taxa base da economia o FED também ajusta a oferta de dinheiro no sistema.  Ao diminuir a oferta de moeda, pode aumentar juros e vice versa.

Como essa taxa influencia na minha vida?

A taxa definida pelo FOMC afeta as condições monetárias e financeiras do mercado, por isso, sua influência sobre a vida dos cidadãos é facilmente percebida. Empréstimos para a habitação, compra de automóveis, cartão de crédito entre outros, tem suas taxas definidas conforme a taxa base do mercado. Se a FED FUNDS sobe, os juros cobrados no mercado também irão aumentar, desestimulando a economia.

Os investidores acompanham de perto a FED FUNDS RATE. O mercado de ações normalmente reage muito forte a mudanças na taxa alvo. Por exemplo, um pequeno declínio na taxa pode levar o mercado a saltar mais alto à medida que os custos de empréstimos para as empresas diminuem. Muitos analistas de ações prestam atenção especial às declarações de membros do FOMC para tentar ter uma noção de onde a taxa alvo pode estar indo.

Os títulos de renda fixa do governo também variam conforme a mudança da FED FUNDS RATE mas cada um tem sua própria dinâmica. Eis os mais comuns:

TIPS (Treasury Inflation Protected Securities) – são títulos emitidos com prazo de cinco, dez ou trinta anos e protegem o investidor do risco inflacionário porque seu valor principal é reajustado semestralmente pela inflação com base nas variações do CPI-U (Consumer Price Index – Urban);

U.S. Treasury Securities – existem 3 variações desse título:

Treasury Bills – comumente chamados e T-bills, são títulos de curto prazo que não pagam juros e com vencimentos de poucos dias, 13 semanas, 26 semanas ou 52 semanas. Você o compra com um desconto sobre o valor de face e recebe o valor integral na data de seu vencimento;

Treasury Notes – os T-notes são títulos de capital fixo, ou seja, rendem juros que são pagos semestralmente e o valor principal que é pago quando a nota vence. São emitidos com vencimentos de dois, três, cinco, sete e dez anos. Por terem o pagamento dos juros, seu valor varia conforme a taxa é alterada mas normalmente de forma contrária – se a taxa sobe, o valor do título cai porque para se ter aquele mesmo principal na data de vencimento, será necessário pagar menos juros;

Treasury Bonds – Bonds são os títulos de longo prazo, 30 anos de duração. Assim como nos T-notes, existe o pagamento de juros semestrais e do valor principal na data do vencimento então sua variação também ocorre como o anterior.

E você? Está preparado para um aumento na taxa de juros? Eu sou JJ Andrade e coloco-me à sua disposição para deseje orientação em como se posicionar diante do cenário macroeconômico atual. Siga-me nas minhas redes sociais.

JJ Andrade
Empresário, Educador Financeiro e Gestor de Portfólios.
Instagram: @jj.andrade_
www.youtube.com/DuoMarket
e-mail: jjandrade@duomarket.com